Centro de Simulação Marítimo e
Hidroviáro da Poli será ampliado

Coordenado pelos professores Eduardo Aoun Tannuri e Kazuo Nishimoto, da Escola Politécnica, o projeto conta com financiamento e cooperação técnica da Petrobras e da Transpetro, e tem o apoio da FUSP.

O projeto visa à expansão do Centro de Simulação Marítimo e Hidroviário já operacional no Tanque de Provas Numérico desde 2013. Este centro permite a realização de simulação de manobras de embarcações em tempo real; com os novos equipamentos, a representação do ambiente portuário e fluvial terá mais realismo, bem como será possível avaliar embarcações e plataformas operando em alto-mar (offshore).

Para tanto, além dos simuladores de navegação, serão desenvolvidos simuladores para guindaste e de sala de controle de lastros. A equipe também trabalha em pesquisas para refinar e aumentar a acurácia dos modelos hidrodinâmicos de manobra e navegação, além da representação da dinâmica de equipamentos (máquina, leme, propulsores, etc...) dos modelos de colisão, dentre outros.

O simulador principal será composto por uma tela circular de 12m de diâmetro com sistema de projeção que permitirá imersão completa no ambiente do passadiço (ponte de comando) do navio. A este simulador principal estarão ligados até cinco outros simuladores de menor porte, permitindo a realização de simulações integradas (diversos navios e rebocadores interagindo).

O centro de simulação conterá as mais modernas tecnologias em termos de software e possuirá uma arquitetura de hardware flexível. O sistema permitirá estudos de segurança e operacionalidade em portos e diversas operações offshore.

Além de proporcionar benefícios para as operações marítimas e portuárias, o sistema a ser desenvolvido incrementará o Tanque de Provas Numérico (TPN) da Poli, inaugurado em 2010 numa área de 1,6 mil metros quadrados. A previsão de inauguração da expansão do centro de simulação é em outubro deste ano.

O sistema de simuladores do TPN vem sendo desenvolvido ao longo de anos. Hoje, é um centro de desenvolvimento tecnológico marítimo que produz desde modelos matemáticos e físicos de base até simuladores físicos que possuem interações homem máquina. Para esta finalidade, o laboratório possui um tanque físico com gerador e absorvedor de ondas inovador e cluster de computadores com velocidade de processamento de 55 teraflops, capazes de realizar 55 trilhões de operações por segundo. Interligados aos computadores dos laboratórios de outras instituições de pesquisa brasileiras na área, a velocidade de processamento chega a 180 teraflops, ou 180 trilhões de operações por segundo – a maior e mais veloz rede de computadores do mundo para o processamento de dados na área de petróleo e gás.