FUSP reestrutura processos e dá mais agilidade
nas parcerias entre a USP e a sociedade

A Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo - FUSP está mais ágil e eficiente, como resultado de uma moderna reestruturação em seus processos administrativos.

Os resultados mais visíveis do projeto de implantação da nova arquitetura de negócios da FUSP serão a desburocratização na formalização e execução de projetos feitos pela maior Universidade do Brasil em parceria com empresas, entidades governamentais e outras organizações da sociedade.

“Nosso foco é a busca por soluções para os problemas e demandas dos coordenadores dos projetos, docentes da Universidade. Vamos dar a eles apoio completo nas áreas administrativa e de controle financeiro, de forma a auxiliá-los plenamente na sua tarefa de coordenar e executar as pesquisas”, destaca o diretor executivo da FUSP e professor titular da Escola Politécnica da USP, José Roberto Cardoso. “Criamos camadas gerenciais, observando o objetivo geral da FUSP que é dar apoio à Universidade no estabelecimento e andamento dos projetos de cooperação, atuando como um facilitador”, explica.

A arquitetura de negócios é um instrumento para aprimorar a gestão corporativa, com o uso intensivo da tecnologia da informação (TI).

PORTA ÚNICA– A Fundação passa a contar agora com uma “porta única”, a Central de Relacionamento, que ficará responsável pelo atendimento aos coordenadores dos projetos em todas as suas demandas. “Independente do tipo de demanda, se de natureza administrativa, financeira ou jurídica, a Central de Relacionamento a receberá do coordenador e a encaminhará internamente na FUSP para a área responsável”, explica Cardoso. “O coordenador não terá mais vários interlocutores na FUSP, mas apenas um”.

Com a criação de unidades administrativas, os docentes poderão acompanhar em que estágio está seu projeto e, caso exista alguma dificuldade, em que instância ele se encontra. “Por exemplo, se uma nota fiscal referente a alguma despesa na execução do projeto não foi aprovada, o coordenador saberá por que isso ocorreu. E a FUSP irá procurar soluções para resolver o impasse, além de trabalhar de forma preventiva para que esse tipo de problema não se repita”, observa Cardoso.

SEM BUROCRACIA– A FUSP está reduzindo a exigência de documentação. Um exemplo prático está na Unidade Financeira, que exigia uma lista extensa de documentos para cada pagamento. Atualmente, esta exigência foi consideravelmente reduzida, agilizando o processo. Além disso, para se aprovar um pagamento era preciso obter o parecer de cinco pessoas da FUSP. Hoje, há uma pessoa responsável por essa atividade, com a supervisão direta da Diretoria Executiva.

“A contratação de pessoa jurídica demorava de 15 dias a um mês. Com a nova estrutura e os novos processos, esse prazo caiu para a metade”, compara o diretor.

Será criado um portal para servir de interface entre os coordenadores e a FUSP, de modo que todos os processos estarão completamente informatizados em breve.